Questões de gênero na convivência pandêmica.

A identidade de gênero e a convivência em tempos de pandemia. . Eu estou aqui hoje para falar com vocês sobre essa chegada do covid-19 a um ano atrás, e eu acho que nós vamos ficar mais uns dois anos pelo menos nessa situação trancados em casa mas ouvi muita gente na ocasião que precisou ficar, na sua casa, casa afinal de contas, lugar que

a gente escolhe para viver como era incômodo, como era

desagradável, quantas mães eu ouvi dizer que não aguentavam

ficar com seus filhos em casa.


. Fico perplexa, né, porque uma das coisa que a gente como mãe a gente tem um filho por que?

Porque a gente quer ter o nosso filho perto de nós. Então eu escutei assim: - Ai, eu não aguento ficar dentro dessa casa. - Ai eu não consigo não encontrar com os meus amigos. - Ai eu não consigo ir para a balada.

- Ai isso é horrível ficar trancado dentro de casa. E me reportei, fiz uma associação àquelas pessoas que vivem dentro de um corpo que eles não reconhecem como a casa para a alma deles.

Estou falando daquelas pessoas que se sentem com uma alma feminina dentro de um corpo masculino ou com uma alma masculina dentro de um corpo feminino. E fiquei imaginando: Isso é um verdadeiro sofrimento. Isso é um verdadeiro desconforto.

.

.